Sim, é isso mesmo que você leu. Esse estudo foi feito por pesquisadores da Universidade Estadual de Oregon e descobriu que compostos de uma planta semelhante à da maconha podem atuar na prevenção da doença, impedindo a entrada do coronavírus nas células. São dois os ácidos canibinoides que conseguem se ligar à proteína Spike e evitar o ataque às células. Interessante, né?

Segundo o principal autor do estudo, Richard van Breemen, os ácidos canabinóides usados no estudo são abundantes na planta cânhamo. Isso quer dizer que esses compostos presentes na planta, NÃO são psicoativos como o THC (tetrahidrocanabinol) e provou um bom perfil de segurança em humanos.

Os pesquisadores acrescentaram também que os compostos estudados bloquearam a ação de variantes do coronavírus, como a Alfa e a Beta. Apesar de existir a necessidade de outras pesquisas para que se confirme o estudo, os cientistas acreditam, de antemão, que os ácidos canabinóides podem ser usados em medicamentos para prevenir ou tratar a Covid-19.