A gurizada que viveu a adolescência nos anos 90 com certeza lembra do lançamento do álbum “Nevermind”, da banda Nirvana, que viria a se tornar um clássico no rock. Mas além das músicas que marcaram gerações, a capa do álbum é inesquecível. Sim, estamos falando do bebê nu que aparece nadando debaixo d’água com uma nota de dólar americano em um anzol.

'Bebê do Nirvana' apresenta nova ação judicial por pornografia infantil -  13/01/2022 - Celebridades - F5

Acontece que depois de 30 anos do lançamento de nevermind, o bebê da capa, chamado Spencer Elden, passou a não gostar mais da foto (ué, não era o nirvana baby?). Ele processou a banda alegando ser vítima de exploração infantil e que a capa representava uma imagem de abuso infantil – o que não faz sentido nenhum, tanto que o juiz Fernando Olguin, magistrado distrital da Califórnia rejeitou o processo.

O dia da fotografia foi aleatório e os pais de Spencer estavam cientes de tudo. Inclusive, receberam 200 dólares pela foto. Durante uma entrevista em 2015, Spencer revelou outros detalhes sobre o que rolo no dia. O pai dele trabalhava em Hollywood como artista de efeitos especiais, e na época, cursava uma escola de arte na qual seus amigos pediam ajuda em seus projetos. Foi assim que o fotográfo, Kirk Weddle, que também estudava na época, perguntou se ele gostaria de ganhar uma grana naquele dia jogando o seu filho na piscina por alguns segundos. Eles aceitaram, óbvio.

Por três décadas, Spencer lucrou por ser o “Nirvana Baby”, recriando a imagem nos 15º e 20º aniversários do álbum e TATOU o título no seu peito. Estranho processar depois disso tudo, hein? O juiz rejeitou o processo depois que os advogados dele perderam o prazo de 30 de dezembro para apresentar uma resposta ao pedido da banda para encerrar o caso.