Existem muitos motivos para se terminar um casamento, mas aposto que terminar por inventar palavras é um motivo novo. E foi o que aconteceu com uma mulher que decidiu pedir o divórcio porque seu marido estava inventando palavras para conversar com o filho do casal, um bebê.

Pela rede social, a mulher afirmou que o agora ex-marido “sempre foi um pouco pateta”. Porém, segundo ela, o comportamento irritante dele teria piorado nos últimos 18 meses. A esposa disse que a invenção de palavras tem causado irritação nela.

Segundo o jornal Mirror, a mulher ainda explicou que o homem possui um repertório de 30 ou 40 “palavras aleatórias que usa no lugar das normais”. “Já estou farta disso”, disparou.

“Fomos para a cama outra noite e eu disse ‘boa noite’ e ele disse ‘bagayaya’ com a voz estridente que ele sempre faz. Eu rebati e perguntei por que ele não podia simplesmente falar comigo normalmente e ele apenas riu e chegou bem perto do meu rosto e fez de novo”, contou.

Além disso, a mulher estaria preocupada com o desenvolvimento da fala do filho, tendo em vista o vocabulário do pai. “Ele fala com nosso filho nessa linguagem estúpida, e estou preocupada que isso confunda o desenvolvimento normal da linguagem porque ele muda as palavras com muita frequência”.

“Nosso filho pode estar prestes a se machucar e, em vez de dizer ‘não’ ou ‘venha cá’, ele diz alguma palavra ou som inventado ridículo e fica irritado quando nosso filho não sabe o que quer”, completou a mulher.

E aí, é motivo pra separação ou tem coisa pior por aí?