Vitor Pelegrin, professor de uma Escola Municipal de Campinas está suspenso de suas atividades desde o dia 16 e ainda pode ser exonerado de seu cargo, e ao que tudo indica, isso se deve ao fato de ele ter vestido uma saia, mas a Secretaria de Educação Municipal afirma não poder revelar o motivo, pois se trata de um processo sigiloso.

Tudo começou em 2015, quando juntamente com outros funcionários da escola, ele saiu às ruas no 7 de setembro para combater a homofobia.

Vitor

Em resposta, Vitor disse:

– O governo municipal banaliza os processos disciplinares e o assédio moral é uma constante. Ao invés de dialogar, construir junto, pune. Não há democracia. Creio que a mudança se deu por medo de represálias. A escola deve cumprir um papel de organizar essa discussão através da informação científica e de debates. São muitas as opressões no ambiente escolar, a estrutura educacional não pode ser insensível a isso. Hoje, não apenas faltam ações e formação específica para nós educadores, como há um movimento político tentando censurar essa discussão. Seria um grande retrocesso.

Os alunos também se manifestaram a favor do professor:

VITOR2

VITOR3

VITOR4

VITOR5