Imagine a tensão de beber um copo de leite que passou alguns dias da data de validade.  Ou comer um sanduíche que a sua mulher preparou há dois meses e ficou lá, esquecido na geladeira.

Agora imagine a tensão de beber uma água que ficou embaixo da terra por 1 a 2,5 bilhões de anos. Medo?

A cientista Barbara Sherwood Lollar, professora da universidade de Toronto, foi a destemida cidadã que aceitou tomar um pequeno gole da água mais antiga já encontrada no Planeta Terra.

E o gosto é péssimo, como ela descreve ao Los Angeles Times:

“Num primeiro momento o que salta é o salgado da água. (…) Mas o líquido é mais viscoso que água normal, de torneira. (…) Num primeiro momento ela é incolor, mas em contato com o oxigênio a água fica um pouco alaranjada, devido aos minerais que se formam – especialmente o ferro.”

A cientista ainda disse que tem que provar a água de tempos em tempos, pra fins de pesquisa. E que a água é muito mais salgada que a água do mar.

Mais detalhes aqui.