Quando nos foi revelado que Fallout 76 seria um jogo totalmente online, muitas pessoas ficaram com a sobrancelha erguida com um monte de dúvidas. Nem críticas, nem elogios, só dúvidas.

Como um jogo que sempre foi tão centrado em uma experiência solitária e livre viraria um jogo MMO? Como uma franquia que sempre teve foco em história passaria para o foco em interação social? E principalmente: Vai continuar com o feeling da série com tantas mudanças?

Respondendo a última dúvida: sim e não. Eu explico respondendo as outras perguntas.

Fallout 76

Assim que nos foi confirmado que o jogo seria 100% online, Todd Howard nos pediu “paciência” e “feedback construtivo” já que é a primeira vez que a Bethesda abraça um projeto tão ambicioso como esse. Com isso, é importante dizer que todos os pontos negativos que forem citados nesse review podem ser completamente alterados para melhor.

Citando um exemplo de outra marca, Destiny 2 foi muito criticado em seu lançamento, e hoje concorre ao prêmio de Game Of The Year na categoria de “game em andamento”(jogos que já foram lançados no ano anterior e continuam melhorando) com chances de ganhar. Logo, é bem lógico que a empresa vai receber o nosso feedback e fazer o possível para melhorar o jogo.

Quero deixar claro que eu vejo muito potencial no jogo e na visão que a empresa tem dele, porém vou citar os defeitos que ele tem agora no lançamento. Vou tentar fazer isso da forma mais neutra possível, e diria para vocês não se deixarem levar por nenhum dos lados extremos. Esse jogo ainda não é uma nota 10, nem perto, mas também não é o zero que muitos fãs estão escrevendo lá no metacritic por hate.  Tendo dito isso, vamos lá:

Como um jogo que sempre foi solitário vira um MMO?
Ao contrário de vários jogos online, Fallout 76 não lhe obriga a jogar com outras pessoas. Elas estão no seu mapa e você pode vê-las, mas não há a necessidade de jogar com elas em equipe caso você não queira. Então lhe é apresentado um pouco do melhor dos dois mundos: explorar sozinho ou curtir uma aventura com os amigos. As interações podem ser muito engraçadas com a ajuda e emotes e diversas coisas pelo cenário.

Infelizmente, o jogo não te dá muito incentivo pra jogar com amigos, já que, tirando a economia na munição, as missões possuem basicamente a mesma dificuldade. Um loot mais dinâmico para cada membro da party, reforços de XP por estar em equipes ou uma inteligência artificial mais adaptativa para os inimigos já mudariam muito essa situação.

Fallout 76 sofre muito, porém, na execução de sua história. A história sempre foi de extrema importância nos jogos da séria, mas nesse tivemos uma diminuição absurda na quantidade de NPCs e basicamente zero diálogo. A história lhe é contada através de gravações que você reproduz enquanto anda pelo mapa. Pode ser muito difícil prestar atenção nesses audiologs enquanto é atacado por inimigos ou outros players, e o jogo não é nada maleável em relação à elas. Não há, por enquanto, a possibilidade de voltar um pouquinho a gravação nem nada do tipo. Sem contar que, se você estiver com seus amigos pelo chat de voz ou em apps como Discord ou Skype, vai ter que pedir para que eles calem a boca para tentar ouvir ou ler, o que não condiz nada com um jogo que tenta focar em interação.

Graficamente o jogo possui seu charme, mesmo que muita coisa pareça reciclada diretamente de Fallout 4. Talvez porquê Fallout 4 tenha seu charme. Mas não muda o fato de que o jogo é bonito, agradável aos olhos (quando não está bugando, mas vamos chegar lá) e aos ouvidos. O ambiente criado nesta adaptação de West Virginia ficou bonito, com uma paleta de cores bem interessante cheio de ambientes bem amplos e abertos com um potencial gigantesco. O mapa pode parecer meio vazio no momento, mas acredito que atualizações tragam mais e mais coisas com o passar do tempo, como normalmente acontece em outros MMOs.

Como nosso querido Todd Howard já falou, jogos da Bethesda tendem a ter diversos bugs em função da ambição e tamanho de seus games. Fallout 76 sofre do mesmo mal, pelo menos por enquanto. Eu joguei a versão para PC, e presenciei alguns problemas. O principal deles é na otimização. Meu computador atende e até supera os requisitos recomendados, e mesmo assim precisei jogar com os gráficos no mínimo. Fora isso, um ou outro bug gráfico ou de inimigo respawnando na minha frente. Este tipo de bug eu tenho certeza de que vai ser consertado, é um problema agora, mas não é um problema eterno. O único bug potencialmente perigoso no momento é o do microfone, que muitas vezes segue aberto por cerca de um minuto mesmo depois de você fechar o jogo na versão do PC. Isso pode ser extremamente perigoso e invasivo, e precisa ser arrumado urgentemente.

Até agora todos os aspectos que falei possuem partes boas e partes ruins, sendo que normalmente as ruins podem ser consertadas. O problema real cai na parte do feeling.