A Tencent, empresa gigante de internet e serviços online com sede na China e que atua fortemente no mercado lá, resolveu entrar de cabeça num assunto complicado e altamente sensível: o crédito financeiro baseado em performance da pessoa em redes sociais.

Inspirado no exemplo de outra empresa grande, Alibaba, a Tencent começou com testes em usuários beta, que começaram a experiência no aplicativo QQ (um dos maiores sistemas de conversa online da China). A partir daí os usuários preenchem com seus dados e o sistema começa a calcular seu “capital social” baseado em critérios de conexões sociais, comportamento de compra, segurança, finanças e as disciplinas e regras previstas.

A ideia é facilitar o acesso das pessoas à serviços financeiros e de crédito. E isso vai ajudar a Tencent a aumentar ainda mais seu tráfico online e seu faturamento.

É algo cada vez mais parecido com o episódio “Nosedive”, da 3ª temporada de Black Mirror.

giphy (11)

No seu livro “Down And Out In The Magic Kingdom”, o autor de sci-fi Cory Doctorow imagina um futuro em que as pessoas não usam mais dinheiro, mas podem adquirir produtos e serviços por meio de critérios de capital social, uma nova unidade monetária: o Whuffie.

tenor (1)

De qualquer modo, isso pode ser uma tendência no futuro, e obviamente pode haver consequências positivas e negativas. Resta saber se teremos maturidade para minimizar o lado negativo de uma sociedade em que seremos regulados baseado em fama, prestígio e capacidade de nos conectar socialmente em ambientes virtuais.

tenor

tencent-penguin-social-credit-qq

 

tencent-hq-entrance