Para muitos, a Primeira Guerra Mundial foi a mais sangrenta da história (apesar de ter resultado em milhões de mortes a menos que a Segunda Guerra Mundial), mas é consenso: o conflito armado ocorrido entre 1914 e 1918 marcou o começo do século XX, as mudanças do final do milênio e agora será recontada em “Battlefield 1”.

O game traz se destaca em relação aos momentos anteriores da série por colocar o jogador no controle de diversos personagens diferentes, com ambições divergentes, mas sempre do lado da Tríplice Entente, no modo “War Stories”. Estão entre eles o lendário esquadrão do Harlem, formado por novaiorquinos afrodescendentes e hispânicos, um britânico, um australiano, um norte-americano e um italiano da famosa tropa Arditi.

Lançado em 21 de outubro em todo o Brasil, o novo título da franquia chega para PlayStation 4 e Xbox One, por R$ 219, e PC (via Origin), por R$ 199.

“Battlefield 1” foi desenvolvido no potente motor gráfico da DICE, empresa sueca que produz os jogos da série, e traz um visual impressionante, como é possível conferir nas cenas de jogo a seguir:

Novos modos multiplayer de Battlefield 1

Como sempre, o modo multiplayer é destaque, oferecendo batalhas para até 64 jogadores e um vasto mundo aberto, dotado de clima dinâmico (que varia durante a partida e altera as condições de jogo) e destruição intuitiva. O que isso significa? Uma granada ou morteiro podem abrir uma cratera no chão para oferecer abrigo contra um blindado, paredes usadas pelos “campers” para se proteger podem ser derrubadas, troncos de árvores que se tornam obstáculos para unidades motorizadas, entre tantas outras possibilidades.

Outras novidades do modo multiplayer são as “Operações”, em que os resultados da partida anterior são computados e prosseguem na próxima partida mesmo após a troca do mapa, num esquema parecido com o de “Counter-Strike”.

Também estão disponíveis novas condições de vitória, como a possibilidade de solicitar o reforço do Veículo Colossal, um trem blindado altamente armado e pronto para acabar com tudo o que vê pela frente (e também alvos fáceis de unidades aéreas), e as três Classes de Elite: Lança-Chamas, Sentinela e Mata-Tanques.

Modo multiplayer de Batllefield 1 não funcionou no estreia

Na sexta-feira, 21 de outubro, um ataque de negação de serviço (DDoS) tirou do ar ou ao menos dificultou MUITO a entrada dos jogadores nas partidas multiplayer de “Battlefield 1”.

Ao tentar acessar os modos multijogador, os usuários receberam a mensagem de que os servidores estavam em manutenção.

O problema não foi exclusivo do jogo da EA, já que muitos usuários de serviços como Twitter, Spotify e Soundcloud tiveram a mesma dificuldade devido ao DDoS, ainda que não haja evidência clara de relação entre os dois ataques.

O ataque de negação de serviço ocorre quando crackers (os hackers do mal) utilizam de ferramentas para sobrecarregar servidores e, por consequência, derrubá-los. Um dos métodos mais comuns é a tentativa de entrada de MILHÕES de “usuários” ao mesmo tempo em um determinado serviço da internet. Esses “usuários” são computadores infectados com vírus, conhecidos como Zombies, que recebem a ordem de um computador-mestre (Master) para atacar.