2016 é o ano da polarização. A grenalização foi exportada para o mundo inteiro e chegou nos (super)heróis. Primeiro na disputa de Batman contra o Superman, e agora com o time Capitão América contra o time Homem de Ferro. Isso sem falar na polarização da vida real, mas vamos pular essa parte.

Capitao-america-Guerra-Civil

Primeiro é necessário lembrar aos fãs da Guerra Civil dos quadrinhos feita pela Marvel que a história usada no filme é apenas uma adaptação e com roteiro muito diferente. Não dá para comparar as duas etc.

Acredito que nesse texto os spoilers sejam leves, mas leia por sua conta e risco.

Dito isso, é fácil saber o motivo para que o filme da Marvel é melhor que o da Warner. Mas vou enumerar só para facilitar e deixar os hater malucos:

  1. 1. A Guerra Civil possui um ritmo muito melhor.

    Se em Batman V Superman as coisas pareceram atropeladas e sem uma ligação clara, a impressão que em Capitão América: Guerra Civil a construção dessa guerra é mais palpável, mesmo sendo essa guerra na realidade uma briga de rua. O filme apresenta e não cansa o espectador, a história é mais fluída que o embate do Homem de Aço contra o Morcego de Gothan.

  2. 2. Eu realmente me importo muito mais com os personagens da Guerra Civil.

    O universo cinematográfico da Marvel é obviamente muito mais trabalhado que o concorrente e a comparação parece até muito injusta, mas não é tanto. Apesar dos vários filmes, os personagens novos são apresentados de forma ainda orgânica e com simpatia na tela. Se por um lado os heróis da Marvel parecem próximos a nós, a escolha da DC em distanciar os seus como se fossem deuses os deixou até um pouco antipáticos. A Warner poderia ter trabalhado melhor seus heróis antes de colocar eles para uma briga épica.

  3. 3. As surpresas são pontuais e bem explicadas.

    Os personagens novos e mesmo os recursos novos são melhores incrementados. A participação do Homem Aranha, do Pantera Negra e mesmo uma vantagem tática de um certo super-herói são interessantes e fazem muito sentido para a trama, o que não acontece em BvS.

  4. 4. As motivações da Guerra Civil são mais claras.

    Apesar das duas motivações serem um tanto fracas, a da Marvel ainda assim é mais palpável. Mesmo que a explosão de ego de Tony Stark e sua maluquice por controle pareça meio sem graça, ela vem sendo construída desde o seu terceiro filme.

  5. 5. A Guerra Civil não me deixou com vergonha ao sair do cinema.

    Esse é um motivo bem pessoal, mas a verdade é que todos os argumentos são pessoais. Ao fim do filme enquanto rolava os créditos e eu esperava a cena pós-créditos, repassei o filme na minha cabeça e ficou a sensação de um bom filme.

2115560.jpg-r_x_600-f_jpg-q_x-xxyxx

O filme possui alguns pontos negativos, conversei com o Marco Lazzarotto até sobre isso e concordamos que uma luta em especial gerou expectativa e desmotivou ao não acontecer e que o vilão não ficou clara se a sua motivação era real ou inventada. Mas ainda assim o filme é muito melhor que o seu “concorrente” já que a Marvel se especializou em fazer filmes sobre seus heróis.

O filme se chama Capitão América, mas deveria se chamar Vingadores. Apesar do Cap. ser o fio condutor da história, o clima é muito mais do filme da equipe, só faltou a trilha sonora característica.

Eu fui crítico da trilha sonora de BvS, não gostei em especial da escolha para o tema da Mulher-Maravilha, mas ela é muito melhor que a usada na Guerra Civil.

Se no primeiro filme dos vingadores eu fiquei com esse tema na cabeça por semanas, na guerra eu não lembro de nenhuma música em especial. Outra coisa decepcionante que vem desde o terceiro filme do Homem de Ferro é o fim das suas referências musicais, parece que Tony Stark amadureceu e encheu o saco de rock. Quem sabe alguém apresenta para o gênio, milionário e filantropo alguns clássicos da folk music americana, de repente pode combinar com a sua nova fase.