Infosfera documentario 1983 videogames no brasil

Os jogos eletrônicos começaram a encontrar o público comercialmente na década de 70, mas no Brasil o ponto de partida é 1983, que não representa a chegada dos videogames por aqui, mas sim a explosão dessa forma de diversão de Chuí à Oiapoque.

O marco foi o lançamento do Odyssey, da Philips, em maio daquele ano, e depois o Atari 2600, da Polyvox (uma subsidiária da Gradiente) no segundo semestre, mirando as vendas de Natal. E aí vieram jogos do Didi, comercial com o Pelé, matérias sobre a “febre” nos telejornais, aberturas de novelas, locadoras de cartuchos, clones das principais plataformas…

Ok, chega de enrolação! Esse assunto delicioso é o tema central do documentário 1983: O Ano dos Videogames no Brasil. A proposta é interessante, já que não há muito material sobre a história dos jogos eletrônicos em terras brasileiras. Só para dar um exemplo de como nossa história é única, sem paralelos, enquanto aqui era o começo dessa “moda”, nos EUA os videogames significavam prejuízo após o colapso da indústria local.

Para esse documentário sair do papel, os realizadores Marcus Garrett, Artur Palma e André Forte optaram pelo sistema de crowdfunding, no qual qualquer fã ou saudosista de games interessado em ajudar pode contribuir com valores a partir de R$ 10 neste link. A vantagem do crowdfunding é que a partir de certos valores, quem contribuir recebe o acesso ao material quando for lançado e outros mimos exclusivos.

A expectativa pelo material é enorme, já que o trio tem larga experiência na imprensa especializada, em produções audiovisuais, além do fato de Garrett ser considerado um dos especialistas na história dos jogos no Brasil. Ele é autor do livro no qual se baseia o documentário e sua continuação: 1984: A Febre dos Videogames Continua. Confira um aperitivo do documentário: