Hello, miguxos!

O título deste post é mais ou menos a máxima apontada por uma pesquisa realizada pela empresa GMX no Reino Unido. Segundo o levantamento, mais da metade dos internautas britânicos (54%) acredita que pode, pelo tipo de linguagem usada em uma mensagem de e-mail, saber características do remetente.

Exemplos: 40% dos entrevistados julga a inteligência de quem escreve pela forma de redigir um e-mail; 20% acredita que pode determinar a idade e 16% determina até o status social pela forma de escrever.

Conforme a PC Advisor, os mais jovens são os mais preocupados em avaliar a redação do remetente.

Esse estudo me parece bem coerente. Eu, pelo menos, fico “receoso” se recebo de um professor um e-mail cheio de erros de português (e isso acontece); uma mensagem miguxa, por sua vez, para mim só pode vir de gente bem jovem (pra dizer o mínimo).

Mas também, depende de quem lê. Cada situação é diferente, acho que as pessoas adaptam a forma de escrever pensando no destinatário. Não dá pra ser todo polido com um amigão de infância, nem completamente informal com o juiz da pensão alimentícia.

E daí, se alguém ler o e-mail fora do contexto remetente-destinatário, pode tirar conclusões equivocadas – acho que isso não foi levado em conta na pesquisa. Saber qual linguagem usar em cada situação é que é o verdadeiro sinal de inteligência, imagino.

Ou isso é só coisa de chato mesmo? Alguém mais se preocupa com isso?

Postado por André Crespani