Reprodução, Asus

Quando, no início de 2008, eu trouxe um Eee PC para a redação, o pessoal perguntava: sem DVD/CD, pra quê serve?

Eu tentava dar uma enrolada, mas sabia que a falta de um drive óptico era uma “deficiência” do netbook – digo “deficiência” porque estava embutida no pretexto para manter uma das qualidades, a ultraportabilidade.

Agora, a mesma família Eee ganha um representante com um drive leitor e gravador de DVDs e CDs.

Telas touchscreen relevadas, e tudo mais que tem chegado aos netbooks, essa é a grande inovação do nicho nos últimos tempos pelo simples fato de que deixa os minilaptops mais perto do portátil ideal para quem não quer carregar um note pesado, mas não se contenta com um tecladinho de smartphone.

Da primeira geração:

• tela de 7 polegadas
• 922 grama
• espessura de 2 cm a 3,2 cm
• 512 MB de RAM
• 2GB de armazenamento SSD

O Eee PC chega fazendo frente a muitos notebooks à venda por aí no modelo com DVD:

• tela de 10 polegadas
• 1,4 quilo
• espessura máxima de 3,3 cm
• 2 GB de RAM
• 120 GB de armazenamento

Com alguns grama a mais, e conservando uma espessura “magrinha”, o Eee PC com DVD não deve em nada mais para os notes. Mas está perto do portátil ideal?

Resta saber:

• quanto durará a bateria?
• virá com placa 3G embarcada?
• qual será o sistema operacional?

Dependendo das respostas, sim. Muito do sucesso do netbook se deve ao sistema operacional. Apesar de o armazenamento e o processamento não serem um problema crítico nos modelos mais recentes, um sistema operacional e ocupe muito espaço ainda é indesejável.

A interface também conta. Serão os ícones fáceis de visualizar e acessar? Dá para utilizar o teclado ou vou depender muito do diminuto espaço do mouse?

Enfim, netbooks já eram os portáteis ideais no tempo da memória curta e do DVD via USB. E pra você, agora um netbook vai bem?

Postado por Guilherme Neves