Não é a toa que Marcelo D2 é um dos rappers brasileiros mais consagrados de todos os tempos, e a gente pode provar. O ano era 1995 e surgia o primeiro disco do Planet Hemp, grupo de rap em que D2 cantou por alguns anos.
marcelod2

O disco ficou conhecido pela maneira que ele trazia o hip hop “made in Brasil”. O som era pesado, cercado de brasilidade, carioquice e com letras que discutiam a discriminação da maconha e a liberdade de expressão.

Em 1998, Marcelo D2 deu um tempo do grupo, gravando o álbum “Eu Tiro É Onda”, em que mistura samba e hip-hop. Essa fusão, porém, só seria reconhecida e consagrada em 2003, com o lançamento de “A Procura da Batida Perfeita”, seu primeiro álbum em carreira solo e um dos mais famosos do rapper.

Pra você ter uma noção do sucesso de D2, o disco chegou a ser lançado na Europa, nos Estados Unidos e na Ásia. Por causa disso, Marcelo fez cinco turnês na Europa, apresentando-se nos maiores festivais do continente, como Wonex, Montreux, Roskilde e Reading, e em casas de show tradicionais, como o Cité de la musique, em Paris.

Hoje, o ilustre artista está completando 54 anos de idade, e para homenagear essa grande lenda do rap, nada melhor que relembrar alguns hits da carreira. Confira agora quem é Marcelo D2 em 4 músicas.

1- 1967
A canção 1967 foi um marco na estreia solo do D2. Compondo o disco “Eu Tiro É Onda”. A rotina de morador de Madureira, as brincadeiras de criança, as influências musicais e o contato com a violência e drogas desde jovem, compõem os versos do hit.

2- Mantenha o Respeito
O cantor, em entrevista uma vez, disse que essa música é essencial para entender a trajetória do D2 desde o começo. Criada em 1993, ainda no Planet Hemp, saiu no álbum “Usuário”, mas em 1988, D2 lançou outra versão dela no álbum solo. “Essa é a música que representa a minha carreira solo”.

3- Qual é?
Não tem como falar em Marcelo D2 sem citar o grande hit da carreira: “Qual é?”. Ele faz parte do segundo álbum “Á Procura da Batida Perfeita”.

4- Febre de Rato
Pulando para 2018, Marcelo lança a primeira música que escreveu para o álbum “Amar para os Fortes”, e também a primeira do roteiro do filme. Essa música junto com o clipe, representa a ida de D2 para o audiovisual, como diretor e roteirista.

Fica difícil de escolher uma preferida, não é mesmo?