Que vocês gostam de dicas de filmes e séries, a gente já sabe. Mas que tal hoje a gente partir para os documentários?! Pra quem não é tão chegado no formato, vale reforçar que existe documentário pra todos os gostos, pode ser científico, de terror, narrando fatos e acontecimentos históricos e até crimes que já foram ou não solucionados.

A diferença entre o documentário para o filme é que a produção deve ser não ficcional, ou seja, se caracteriza principalmente pelo compromisso da exploração da verdade.

Se você ainda não assistiu nenhum documentário, aposto que depois deste post você vai virar fã. Separamos 3 documentários que você precisa conhecer. Bora lá?

1- Atleta A
atleta a

Aproveitando que ainda estamos no ritmo de fim de olímpiadas, um documentário que veio à tona nos jogos desse ano foi o “Atleta A”. Essa produção feita pela Netflix em 2020, acompanha as ginastas que foram vítimas de abusos sexuais pelo médico da equipe nacional de ginástica dos EUA, Larry Nassar. Além de depoimentos dos repórteres que evidenciaram a história, o documentário conta com a participação e denúncias de grandes ginastas dos EUA, como Maggie Nichols.

2- O Desaparecimento de Madeleine Maccann
madeleine

Todo mundo já deve ter ouvido falar da história da menina três anos que desapareceu misteriosamente de um resort em Portugal. Nesse documentário produzido pela Netflix, todas as informações como pistas e suposições, são unidas e um quebra cabeça começa a ser montado. Essa produção é um dos exemplos de investigação criminal. Madeleine Maccann passava férias com a família britânica em um resort na Praia da Luz em Portugal e, em uma das noites, sumiu misteriosamente. A partir daí, diversas teorias e suspeitos foram apontados no documentário, sendo um deles os próprios pais da criança.

3- Mamãe Morta e Querida
mamae morta e querid

Se você não ouviu falar, com certeza vai ficar intrigado com essa história. Mamãe Morta e Querida é um documentário baseado no caso de Gypsy Rose, que matou a mãe Dee Dee Blanchard. Mas o assassinato não aconteceu por nada. A história se dá quando Gypsy percebe que sua própria mãe a fazia acreditar que possuía inúmeras doenças e não podia se virar sozinha, passando a acreditar que precisava de cadeiras de rodas até metade de sua adolescência. Para manter Gypsy sempre fraca, Dee Dee administrava doses pequenas de veneno para que ela continuasse acamada. Após Gypsy descobrir a verdade, acabou planejando, junto a um rapaz que conheceu na internet, uma fuga que resultou na desastrosa morte de Dee Dee, levando o caso para os tribunais e trazendo à tona as razões pelas quais a situação entre mãe e filha era tão doentia.

Uma das produções cinematográficas inspirada no documentário, é o filme “Fuja”.

 

É impossível ler essas sinopses e não querer dar uma conferida nesses documentários, né? Fica ligado aqui no blog da Atlântida que semana que vem é a vez dos documentários brasileiros <3