aaaaa

O eterno presidente do Internacional Fernando Carvalho foi o convidado desta segunda-feira no Bola Atlântida. Totalmente à vontade, Carvalho se abriu e contou muitas histórias.

Celso Roth no Inter?

- Eu gosto do Celso Roth, acho ele um bom treinador, mas não sei se agora seria o treinador adequado, já que tem sua imagem desgastada e sua contratação sem dúvida seria uma crise perante o torcedor colorado. Teria que haver um suporte muito grande por parte da diretoria para não criar crise.

Mazembaço

- Nós torcemos pro Mazembe ser o adversário porque o time era muito fraco, nós vimos o jogo deles contra o Jaguares antes e era muito fraco, mas a grande responsabilidade pela derrota foi minha e do Vitório Piffero em deixar o oba-oba da imprensa e da torcida contagiar o grupo. Nós tínhamos a obrigação de não deixar e fomos deixando, deixando… se criou um clima de festa.

- É muito melhor perder em Abu Dhabi do que ganhar em Recife.

Contratação de Fernandão

- Eu já conhecia o Fernandão desde a seleção de base e um empresário mala ficava me oferecendo jogadores ruins e tal e um dia eu falei pra ele, quer saber? Eu quero o Fernandão, aquele que era do Goiás e tá na França lá. Esse me serve. O empresário não conhecia o jogador e eu disse, fala com o Marabá, que tem o celular dele, porque eles são amigos de Goiás.

O cara foi lá pegou o telefone do Fernandão com o Marabá e trouxemos o Fernandão.

Fernando Carvalho tirou Guinazu do Grêmio.

- Eu era muito amigo do empresário do Guinazu porque tentei levar ele pro Inter um ano antes dele ter vindo, quando veio o Vargas, a gente queria o Guinazu, mas os dirigentes da época acharam caro 2 milhões de dólares por ele, mas no ano seguinte esse mesmo empresário me ligou e contou que ele tava acertando a venda do Guinazu pro Grêmio e o preço era a metade disso. Eu disse pra ele falei sai daí, vai embora! Nós pagamos isso aí e acabei tirando ele do Grêmio.

Gabiru e o Mundial

- Nós fechamos o Gabiru quase numa jaula. O Gabiru tava há 20 dias concentrando, sem beber, já que a gente sabia que ele gostava de dar umas escapas e o Abel nos disse que ele destruiu com o treino no dia anterior ao jogo contra o Barcelona. Ele nos contou que ia colocar três jogadores durante o jogo: Gabiru, Vargas e Luiz Adriano. Então quando entrou o Gabiru eu sabia que ele podia ajudar.

Veja e ouça a entrevista aqui!