Um ministro religioso do oeste de Nova York ofereceu ao assassino de John Lennon, Mark Chapman, um trabalho e um lugar para ficar após sua eventual libertação da prisão, disse Chapman ao conselho municipal nova-iorquino neste mês.

Chapman, de 57 anos, cumpre prisão perpétua por atirar quatro vezes contra o ex-Beatle nas costas em frente ao apartamento de Lennon na cidade de Nova York em 8 de dezembro de 1980. No início de agosto, ele teve o pedido de liberdade condicional negado pela sétima vez.