Débora Diniz

Nos últimos dias um dos nomes que vêm aparecendo constantemente nos noticiários é o de Débora Diniz.

Debora é professora de Direito da Universidade de Brasília e está há pelo menos 15 anos à frente de ações no STF que envolvem o assunto aborto. Ela fundou a ONG Anis (Instituto de Bioética, Direitos Humanos e Gênero) e em 2017 junto com o PSOL, protocolou uma ação para descriminalizar o aborto até a 12ª semana. Depois disso, passou a receber ameaças de morte.

A ADPF 422 (Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental) é uma proposta para fomentar o debate, sobretudo, dos artigos 124 e 126 do Código Penal, que prevê prisão de 1 à 3 anos de mulheres que pratiquem o aborto.

Ela ganhou notoriedade por coordenar a Pesquisa Nacional de Aborto, publicada em 2016.

“Quem são as mulheres que abortam? Essa multidão pode ser descrita por números: uma por minuto, 1 a cada 5 mulheres aos 40 anos. 56% delas são católicas e 26%, evangélicas. É a mulher comum brasileira”, diz Débora Diniz em deu discurso.

Confira a fala completa dela:

Beijos crocantes!

@taiciadesigner

Instagram-ATL-Girls