dia dos pais 3 pais

A paternidade é vista de uma forma completamente diferente da maternidade. Um pai que troca as fraldas: “WOW!”, um pai que leva o filho doente no pediatra: “QUE PAIZÃO“!

Mas felizmente temos as exceções. Pais que estão fazendo o papel deles, de pai, que criam e educam seus filhos. E já que domingo é Dia dos Pais, conversamos com alguns homens para que eles nos contem o que mudou em suas vidas com a chegada dos filhos. Pois sim, a vida muda, pode ter momentos cansativos, mas com certeza fica muito melhor!

Thiago Tormes

Pai do Gabriel, 9 meses.

WhatsApp Image 2018-06-23 at 17.01.13

Não tenha filhos…
Calma, leia tudo antes de me chamar de algo.
Minha vida mudou muito, faz 9 meses. Ficou muito mais difícil. Tudo mesmo!
Não tenha filho.
Se não quiser ir para o aeroporto em cada viagem sua, com o coração arrasado e o rosto tomado de lágrimas. É desesperador.
Se por um acaso você não aceitar que todos os outros amores que você sente, sejam transferidos para outro patamar, e o amor que você sente por ele é único, intransponível, indispensável, intransferível e enlouquecidamente enlouquecedor.
Se não quiser se contradizer, ao falar ‘quando eu tiver filho, ele não vai ter nada que não precise. Só o básico’ Chega no sétimo mês, você compra um iPad, todos os brinquedos que vê, sanfona, gaita de boca, kart, uma capivara, e tudo que vê pela frente.
Se não quiser se contradizer duplamente, ao falar ‘meu filho vai ser criado de forma rígida, não quero saber de manha.’ Ele fala ‘Ah’ a gente já pega no colo, afina a voz, age igual um retardado, embala parece que está fazendo ele pegar no tranco, e quando ele acalma e dorme, tu não quer largar, esquece o que estava fazendo, e por diversas vezes ainda chora vendo ele dormindo, e cai no sono junto.
Se não quiser se pegar sozinho, num quarto de hotel, olhando suas fotos, em um choro desesperador, perturbador e silencioso, e se questionando se tudo que fazes, vale mesmo a pena.
Se não quiser abrir mão de todos os sábados à frente da tua vida (no meu caso), para dedicar esse dia e noite apenas à ele. Trocando uma bebida por mamadeira. Um jantar fora por uma fralda cheia de cocô. Risadas excêntricas e toscas, por choros de madrugada. Uma festa cheia de ‘parceiros’, pela festa mais animada que você vai fazer na sua vida. Com ele.
Mas também tem algumas coisas interessantes e devastadoras que esses seres nos trazem:
– Eles te ensinam que tua sanidade mental é deturpada todos os dias, com esse amor enlouquecedor;
– Ensinam que existe sim, uma paixão, que não precisa de motivos para ser acendida.
– Nos mostram que alguns ensinamentos de vida, são feitos sem palavra alguma, apenas com olhares, sorrisos, gritos, sussurros.
– Te fazem entender o verdadeiro amor, aquele que teus pais te davam e você não entendia.
– Te ensinam, o que é amor!

Se vocês não quiserem ter seu mundo anterior destruído e substituído por um infinitamente melhor, não tenha filhos.

Gabriel, eu não sei se um dia tu vais ler isso, mas cara, eu não sei como explicar tudo isso, pois tu destruiu o mundo que eu vivia, e me deu um mundo infinitamente melhor, com propósitos, objetivos e encantos reais.
Tu definitivamente tirou meu chão e me levou ao céu. Salvou meu mundo.
Só quero te ver crescer, e que tu te torne o homem mais honesto, sincero, humilde, trabalhador, criativo e de bem, que o mundo possa ter.
Eu te amo.

Beto Bigatti

Pai do Gianlucca, 12 anos e Stefano, 5 anos

75923492-810d-48d4-835c-0286c0c27f16

Há vida depois da paternidade?

Esse texto era para falar sobre como a minha vida MUDOU depois da chegada dos meu filhos, mas acho que o mais adequado é falar que a minha vida COMEÇOU depois da chegada dos guris!

Não, não estranhem, é claro que eu tinha uma vida antes da paternidade, e era super bacana, amigos, esposa, casório.
Mas o Beto de verdade, aquele que encontrou o seu lugar no mundo, esse veio depois de eu me tornar pai.

Já no dia do exame de farmácia, depois do susto e do medo, já comecei a me sentir bem. Eu tinha gerado um bebê, um outro serzinho. Não sabia de nada ainda, mas entendi que o mundo ia girar de ponta cabeça.

E que bom que girou.

Você pode não acreditar, mas a paternidade te dá liberdades que tu já tinha perdido. Assumimos as maiores responsabilidades que um homem pode ter e ao mesmo tempo redescobrimos o universo com um olhar lúdico, leve e cheio de amor.

Mesmo cheio de defeitos, você se transforma no super-herói do seu filho. Tudo o que você faz é bacana, mágico! E essa admiração você só ganha de um filho. Ninguém no mundo acredita que você é tão forte quanto o Hulk. Seu filho acredita!

Só a paternidade te libera para decidir metas para a sua empresa numa reunião com a alta administração e, 20 minutos depois, rolar pelo chão da sala sofrendo um ataque de cócegas onde você irá perder para seu filho que está lá gargalhando junto com você.

Ah cara, mas você não pode mais fazer festa todas as noites, sair sem hora para voltar, etc e tal, dizem alguns.

Essa é a ideia: a paternidade traz essa festa para a sua casa, diariamente. E você curte como se estivesse num open bar, na verdade, um ‘open love’, um amor infinito! E mesmo assim, pode sair também de vez em quando, os bares aceitam a entrada de pais.

Então, se tu me perguntar se existe vida após a paternidade. Sim, cara, tem vida após e ela muda. Ainda bem!

Thiago Rodrigo

Pai da Maria, 1 ano e 6 meses

Talvez você tenha descoberto que vai ser pai e não estava esperando por isso. Talvez você sempre sonhou em ser. Seja lá qual for a forma que a paternidade chegou na sua vida, honre com seu novo título, honre com “pai” que vão te chamar um dia!

Feliz dia dos pais!

Instagram-ATL-Girls