nipo-brasileiros ensaio

O Brasil é o segundo em número de japoneses fora do país asiático. De acordo com registros históricos, os primeiros chegaram em portos brasileiros no início do século 20. Daquele tempo para cá, os nipo-brasileiros se estabeleceram e evoluíram, se caracterizando por bairros. Apesar de condições distintas dos negros escravizados que aqui também ficaram, os japoneses também são alvos recorrentes de preconceitos. Em função do avanço das redes sociais como espaço de discussões e mudanças de hábitos históricos, surge o debate sobre o “anti-amarelo”.

Para debater o assunto, Jessica Yumi, estudante de psicologia na Universidade Estadual de Londrina, produziu ao lado da colega Celina Tanaka, um ensaio chocante sobre o tema. As fotografias são repletas de questões sobre palavras naturalizadas pela sociedade brasileira.

A estudante falou sobre o assunto no Facebook:

“As próprias vítimas nem percebem que estão sofrendo bullying ou um tipo de preconceito. Levam na esportiva mas são chamados de ‘japa’ ao invés do nome ou não são reconhecidos pelos seus esforços por causa de uma descendência.”

A postagem repercutiu e até o momento deste post acumulava mais de 9 mil curtidas na rede social. Jessica afirma que o objetivo não é reunir apenas descendentes de japoneses, mas toda a comunidade asiática para uma levante sobre a realidade vivida e o sentimento de falta de apropriação do meio destas pessoas, um lugar para chamar de seu. Isso se dá pois, ao mesmo tempo em que não são reconhecidos como brasileiros, no país de ascendência acontece o mesmo.

“Um descendente de japonês é praticamente considerado estrangeiro aqui no Brasil. No Japão ele é chamado de ‘gaijin’ (estrangeiro). A que lugar pertencemos, afinal?”

Há pouco tempo a discriminação contra asiáticos foi tema de uma enorme discussão na internet. Isso porque uma novela da TV Globo, “Sol Nascente”, ambientada no Japão, contou com uma presença praticamente desprezível de atores nipônicos. O folhetim optou por utilizar atores brasileiros e causou polêmica.

Confira outras fotos do ensaio:

Veja a publicação de Jessica no Facebook:

Instagram-ATL-Girls