tai araujo onu

Sabemos que Taís Araújo é um símbolo grandioso da mulher negra no Brasil. Além de ser a primeira protagonista negra da televisão brasileira, ela segue enaltecendo a nossa cultura sempre que pode e usa muito suas redes sociais para essa finalidade.

Ontem, 3 de julho, Taís foi nomeada pela ONU Mulheres Brasil como Defensora dos Direitos das Mulheres Negras. Isso quer dizer que agora ela começa a apoiar oficialmente a visibilidade das mulheres negras como um dos grupos prioritários do plano de trabalho da ONU Brasil para a década, conhecida com a Década Internacional de Afrodescendentes, alinhado com o princípio de foco nos grupos em situação de maior vulnerabilidade.

“É com imensa alegria que a ONU Mulheres Brasil recebe o voluntariado de Taís Araújo, pela sua defesa fervorosa em favor dos direitos das mulheres. Taís tem sido uma das pessoas emblemáticas no enfrentamento ao racismo e ao sexismo no Brasil por sua postura política e artística, colaborando para a construção da representação positiva de negras e negros na dramaturgia brasileira. A voz de Taís agregará aos debates sobre os direitos das mulheres negras durante a Década Internacional de Afrodescendentes e nos esforços para o alcance dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável”, considera Nadine Gasman, representante da ONU Mulheres Brasil.

“Estou muito emocionada e honrada com esse convite. Quero usar a minha voz e falar de forma abrangente para que eu possa agregar as mulheres negras, as mulheres brancas e também as indígenas. Apenas com a união de todas as mulheres e, importantíssimo dizer, dos homens, poderemos caminhar por uma sociedade igualitária”, disse sensibilizada com o título, Taís Araújo.

Minha semana começou em 2017, mas com os olhos bem atentos para 2030. Hoje, Dia Nacional do Combate à Discriminação Racial, tive a honra de receber o título de Defensora dos Direitos das Mulheres Negras da ONU Mulheres no Brasil. Meu objetivo central é agregar para reduzir as diferenças. Agregar ao debate homens, mulheres, brancos, negros, orientais, indígenas, enfim, todos os brasileiros e brasileiras nessa missão, transformando a realidade com amor e coragem. Cada um de nós tem em si a força necessária para essa mudança. Juntos poderemos chegar em 2030 com uma perspectiva de igualdade para todos. Está longe? Ou muito perto? Utópico? Realista? Não sei. Só consigo responder que é urgente! Estou junto com a @onumulheresbr pra que cheguemos em 2030 orgulhosos dos nossos planos e conquistas. E convido vocês para fazer parte disso. Vamos juntos? 🙋🏽🙋🏼‍♂️🙋🙋🏽‍♂️🙋🏿🙋🏼🙋🏿‍♂️🙋🏻🙋🏻‍♂️🙋🏾🙋‍♂️

A post shared by Tais Araújo (@taisdeverdade) on

A data foi escolhida por ser um mês especial para as mulheres negras, o #JulhoDasPretas, assim chamado pois o dia 25 de julho é Dia da Mulher Afro-latino-americana, Afro-caribenha e da Diáspora.

A ONU Mulheres Brasil já conta com a atriz e youtuber Kenia Maria desde março de 2017 como defensora dos Direitos das Mulheres Negras, que recentemente, junto do marido e também ator Érico Brás, venceu uma ação contra a companhia de aviação Avianca por racismo.

Instagram ATL Girls