4

Terça-feira é dia de inspiração, por que é dia de conversarmos com mais uma linda aqui no #pénaestrada, nossa série de entrevistas de mulheres corajosas que pegaram as malas e foram passar alguma temporada em um lugar diferente, pouco convencional, talvez até “perigoso” pelos olhos de alguns.

Hoje quem nos conta sua história é a Elisa, que morou 3 meses na Ucrânia! Quando fiquei sabendo disso, na hora quis conversar com ela! Acho que nunca falei com ninguém que sequer visitou a Ucrânia! É lógico que terminei a entrevista dela louca de vontade de conhecer o país. Vem ler também:

Conta pra nós qual(is) cidade(s) tu morou na Ucrânia e por quanto tempo tu ficou lá?

Morei nas cidades de Donetsk e Mariupol, no leste da Ucrânia quase na fronteira com a Rússia. Fiquei lá por 3 meses, durante um intercâmbio de trabalho voluntário que fiz através da Aiesec, onde trabalhei em um acampamento de férias dando aulas de inglês para crianças.

Como foi a escolha do local?

Quando estava me candidatando para o trabalho voluntário, todas as vagas em que me inscrevi foram em países pouco comuns, pois queria ir para um lugar com uma cultura completamente diferente da brasileira. Confesso que nunca tinha pensado em ir para a Ucrânia até então, mas quando fui selecionada acabei ficando bastante empolgada, já que é um lugar que eu nunca imaginava conhecer.

O que mais te encantou e o que mais te desencantou na Ucrânia?

Fui pra Ucrânia sem conhecer praticamente nada sobre o país, então não tinha muitas expectativas. Todo o tempo eu estava tendo contato com algo novo e me surpreendendo, e acho que o que mais me encantou foi toda a diferença entre as culturas, o idioma e a história do país. As pessoas são muito receptivas, e mesmo com os vários choques culturais e dificuldade com a comunicação que tive no decorrer da viagem consegui aprender mais sobre um lugar e um povo que eu não tinha muito conhecimento.

Mas a Ucrânia é um país de muitos contrastes, pois há cidades muito modernas e ricas, e ao mesmo tempo o país ainda tem muitos resquícios da época da união soviética e ainda há lugares muito pobres e com estrutura muito precária. Tive vários choques culturais que me mostraram como a cultura e os costumes dos ucranianos são diferentes, mas tudo isso colaborou pra que eu tivesse uma visão mais ampla sobre a sociedade do país.

ucrania2

Matrioskas, souvenir mais famoso do leste europeu!

Quais foram as maiores dificuldades de morar em um país com uma cultura tão diferente?

Acho que a principal dificuldade que tive foi com a língua, pois lá eles falam russo (o alfabeto é totalmente diferente do nosso, então era praticamente impossível ler qualquer coisa) e a grande maioria da população não sabe inglês. Essa dificuldade não me permitiu ter tanto contato com os ucranianos como eu gostaria, pra entender melhor as particularidades da cultura de lá. Então tive que me virar pedindo ajuda e também através da mímica, e com o tempo eu fui aprendendo algumas palavras e frases básicas.

ucrania3

Estação de trem de Donetsk. Dá pra ver como se escreve o nome da cidade em russo (e entender a minha dificuldade com o cirílico! Hahaha) e ver também como é a temperatura média do verão por lá (36 graus)!!

Qual a vantagem que tu vê em morar em um local tão exótico ao invés dos tradicionais como Estados Unidos, Austrália ou alguns países da Europa? Qual seria a principal diferença?

Morar em um lugar tão diferente te dá uma visão de mundo que não se consegue quando se viaja para os grandes centros turísticos. Porque em um lugar mais exótico a todo tempo tu é desafiada, os teus valores são questionados, tu aprende muito e vários paradigmas que tu tens acabam sendo quebrados. Isso tudo acaba mostrando quão pouco do mundo a gente conhece e quanto a gente tem pra conhecer aí fora.

Qual a relação dos ucranianos em geral com a mulher? Tu sentiu algum tipo de preconceito por tu ser uma mulher sozinha nesse local? 

Na época que estive lá não tive nenhum problema com essa questão. As pessoas não tinham preconceito por eu ser mulher e estar viajando sozinha, mas se mostravam surpresas de eu ter saído sozinha do Brasil para ir morar no interior da Ucrânia. Eu procurava andar acompanhada de outras pessoas mais por causa da dificuldade com a comunicação em russo, mas não por causa da segurança.

Tem alguma história especial, engraçada ou inspiradora que aconteceu nesse período que tu morou lá que tu possa nos contar? Algo que só aconteceu pois era lá que tu estavas, que tenha a ver com a cultura/costumes do lugar!

Teve um final de semana em que alguns intercambistas foram convidados pela Aiesec de Donetsk para preparem comidas típicas do seu país em um evento que ocorreu em um orfanato da cidade, para arrecadar fundos para a instituição. Eu preparei brigadeiros (com leite condensado que havia levado do Brasil, porque lá não tem nada parecido) e caipirinhas, e as receitas fizeram muito sucesso entre os ucranianos. E eu ainda aproveitei para provar pratos típicos de outros países. E além da interação com outras culturas foi ótimo saber que ajudamos uma instituição que estava precisando de ajuda!

ucrania1

Na foto, alguns dos intercambistas que trabalharam no summer camp. Tem gente da Polônia, Romênia, República Tcheca, Turquia, Geórgia e Indónesia.

Como essa experiência influenciou na tua vida pós-viagem?

Aprendi muitas coisas nessa viagem, e hoje sou muito mais desapegada e a resiliente, pois fui pra lá sem saber praticamente nada sobre o país e tive vários choques culturais no decorrer da viagem. Mas como com o tempo a gente tende a se adaptar a qualquer situação, na Ucrânia não foi diferente, e hoje vejo que sou muito mais flexível e tolerante graças a todos os desafios que enfrentei por lá.

Outra coisa ótima que aconteceu foi a convivência com os outros 15 intercambistas do summer camp, cada um vindo de um lugar diferente do mundo. Compartilhamos histórias e costumes de cada país, e fiz amigos com quem mantenho contato até hoje.

Quais são os locais da Ucrânia que não dá pra perder?

Donetsk é uma cidade muito bonita e em vários aspectos me lembrou Porto Alegre, bem arborizada, cheia de praças e com muita gente aproveitando o calor do verão (chegou a 45 graus!) pra ficar até mais tarde na rua. Mariupol era uma cidade menor, mas também cheia de teatros e parques para visitar.  Ambas as cidades têm vários prédios históricos e muita coisa que ainda sobrou da época da união soviética, como estátuas de Lenin e condomínios abandonados, que fazem a gente voltar no tempo e imaginar como era a vida por lá.

Mas infelizmente, justamente a região em que eu morei ainda é palco dos conflitos entre o exército ucraniano e os separatistas pró-Russia, que vêm acontecendo deste o último ano, e foi muito destruída, então acredito que isso tenha afugentado um pouco quem pensa em ir pra lá. E mesmo os noticiários não mostrando muito, a situação ainda tá bem complicada no leste do país.

Mas a Ucrânia tem vários outros lugares interessantes como a capital Kiev, a cidade de Odessa que fica às margens do mar Morto e é destino de férias de ucranianos e russos, e também a famosa usina de Chernobyl que fica no norte do país.

pe na estrada ucr

Uma das muitas praças com estátua de Lenin pra gente lembrar do passado, quando o país fazia parte da União Soviética

kiev

A linda cidade de Kiev

Se tu pudesse dar um conselho para uma mulher que está pensando em ir pra lá, mas está em dúvida/medo, qual seria?

É um lugar com uma cultura riquíssima e que nós temos muito pouco conhecimento, e com certeza eu recomendo a visita pra quem gosta de viajar e explorar lugares diferentes. Porém acho que agora não é uma época segura para viajar para o leste europeu por conta dos conflitos internacionais.

 Instagram ATL Girls